Ciência da Personalidade Introversão

Ciência da Introversão e Extroversão

A ciência da Introversão e Extroversão
Escrito por Marta Leite
Pesquisas em diversas áreas da ciência têm descoberto que a Introversão e Extroversão estão relacionadas com a forma como o nosso cérebro está configurado.

Antes de sabermos do que se trata a ciência da Introversão e Extroversão, precisamos esclarecer uma coisa: ser um introvertido ou extrovertido é determinada pelo fato de que você obtém sua energia de estar sozinho ou de estar perto de pessoas. Introversão é frequentemente confundida com timidez, mas não tem nada a ver com isso. Timidez é sobre o medo de ser julgado pelos outros.

Eu mesma sou uma introvertida. E isso me levou algum tempo e confusão antes de eu entender que não há nada de errado com isso. Lendo o livro “The Introverted Advantage”, de Marti Olsen Laney me ajudou a ganhar alguma introspecção em mim mesma. A parte mais interessante para mim foi conhecer mais sobre a bioquímica história por trás de tudo: ele me ajudou a compreender e aceitar como são minhas funções cerebrais.

Foi quase um alívio saber que há uma explicação lógica para o porquê eu poderia, em vez de querer ir para a “night”, ficar em casa lendo um livro em pleno sábado a noite.

Aqui vai uma ilustração que mostra a neuroquímica por trás da Introversão. Todos esses desenhos são baseados em “The Introverted Advantage”, de Marti Olsen Laney.
Ciência da Introversão e Extroversão

Percurso de Acetilcolina mais longo nos Introvertidos

  1. Sistema de Ativação Reticular – Os estímulos entram por aqui, onde é regulado o estado de alerta. Diminuído nos introvertidos;
  2. Hipotálamo – Regula a sede, a temperatura e o apetite. Nos introvertidos liga o sistema “Meio-gás”;
  3. Tálamo Anterior – Estação retransmissora – Envia estímulos ao lóbulo frontal e diminui os estímulos nos introvertidos;
  4. Área de Broca – Área do discurso, onde é ativado o monólogo interior;
  5. Lóbulo Frontal – Onde são desencadeados os pensamentos, o planejamento, a aprendizagem e o raciocínio;
  6. Hipocampo – Sintonizado com o ambiente e com as estações de retransmissão à memória de longo prazo;
  7. Amígdala – Centro emocional, onde, no caso dos introvertidos, os sentimentos são ligados aos pensamentos.
Ciência da Introversão e Extroversão

Percurso de Dopamina Mais Curto no Caso dos Extrovertidos

  1. Sistema de Ativação Reticular – Os estímulos entram por aqui, onde é regulado o nosso estado de alerta. Aumentado nos extrovertidos;
  2. Hipotálamo – Regula a sede, a temperatura e o apetite. Liga o sistema “Todo-o-Gás” nos extrovertidos;
  3. Tálamos Posterior – Estação Retransmissora – Envia estímulo ampliado às amígdalas;
  4. Amígdalas – Centro emocional, onde as emoções são ligadas às ações na área motora dos extrovertidos;
  5. Área Temporal e Motora – O movimento liga-se à memória operacional (de curto prazo). É igualmente o centro da aprendizagem e do processamento de estímulos sensoriais e emocionais.

A informação viaja um longo caminho através de nossos cérebros.

Temos neurotransmissores que seguem determinados percursos em nosso cérebro e ativam determinados sistemas. Aqui é onde fica interessante.

Em um teste, foi pedido a introvertidos e extrovertidos para deitarem e relaxarem, enquanto que pequenas doses de radioatividade foram injetadas em sua corrente sanguínea. Em seguida, eles foram examinados para determinar a parte mais ativa do cérebro. Eles descobriram duas coisas interessantes. Em primeiro lugar, os introvertidos têm mais fluxo de sangue para o cérebro do que os extrovertidos. Mais fluxo de sangue indica mais estimulação interna. Em segundo lugar, o sangue de introvertidos e extrovertidos viaja ao longo de diferentes percursos. O caminho dos introvertidos é mais complicado e focado internamente. Enquanto os extrovertidos participaram externamente do que estava acontecendo no laboratório, os introvertidos foram assistir aos seus pensamentos e sentimentos internos.

Não só o sangue dos introvertidos e extrovertidos viajam em vias separadas, cada via requer um neurotransmissor diferente. O via que os extrovertidos usam é ativada pela dopamina, enquanto a dos introvertidos é ativada pela acetilcolina.

Enquanto extrovertidos estão ligados com a dopamina/adrenalina e o gastador-de-energia sistema nervoso simpático, os introvertidos são conectados com a acetilcolina e o conservador-de-energia sistema nervoso parassimpático.

Essa é a razão pela qual você pode, ocasionalmente, precisar de uma pausa de ambientes estimulantes com montes de pessoas. É por isso que é OK se sentar sozinho em casa e comer pipocas vendo Netflix enquanto todos os outros estão na balada.

Entender esses princípios biológicos que seu corpo parece viver perto, acho que talvez seja mais fácil de reconhecer os seus limites introvertido. Se você é um introvertido, espero que isso tenha ajudado.


Contatos


ReferênciasThe Introverted Advantage, de Marti Olsen Laney.

Imagens do site Magic DaydreamThe Introverted Brain Explained


Esse artigo foi útil para você? Se foi, pode ser para outras pessoas também. Curta e compartilhe!

GuardarGuardar

Queremos fazer o melhor para você. Deixe aqui a sua avaliação do nosso conteúdo!

Sobre o autor

Marta Leite

Marta Leite
Eu sou uma mãe, esposa, Life e Business Coach. Uma introvertida intuitiva – INFJ - dos Tipos Junguianos. Uma apaixonada, entusiasmada e curiosa pelo Desenvolvimento Humano.

Deixe aqui o seu comentário!

Comentário

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
%d bloggers like this: