Bem-Estar Introversão

Introvertido tímido: como se sentir menos embaraçado em ocasiões sociais?

Introvertido tímido: como se sentir menos embaraçado em ocasiões sociais?
Ser um introvertido tímido e estar em situações sociais pode representar uma verdadeira overdose de embaraço. Como amenizar isso?

Para um introvertido tímido lidar com situações novas, cumprimentar pessoas que não conhece, apresentar-se em situações de grupo… representa uma verdadeira overdose embaraço.

Para além do embaraço, um introvertido tímido simplesmente não gosta ou não sabe mesmo o que dizer ou como agir. Fica inseguro sobre como será a sua performance e se vai ou não fazer papel de parvo no meio de um cumprimento a um estranho. Ou se vai ficar mudo diante de uma pergunta durante eternos segundos, até que a resposta chegue já completamente fora do tempo.

Quantos de nós já não se pegou querendo fugir de um evento social com questões do tipo:

  • E se me fizerem uma pergunta muito pessoal?
  • E seu eu corar ou gaguejar?
  • E se eu não souber o que dizer?
  • E se eu ficar nervoso e tropeçar em algo?
  • E se me perguntarem algo e eu não souber responder?
  • Ou se eu não disser o suficiente?
  • Quanto tempo é uma quantidade normal de tempo para essa conversa durar?
  • Se eu estiver farto de uma conversa, como faço para sair?

“Estar preparado é a metade da vitória.” –Cervantes

As situações sociais requerem um certo improviso, o que não é muito uma habilidade do introvertido tímido. Mas você não deve evitar essas situações por insegurança. E para lidar com isso basta algum treino e uma atitude mais descontraída e menos exigente consigo mesmo.

Então, como transitar por essas situações sem parecer ou sentir-se estranho? Como lidar de forma leve com os pequenos embaraços sem fazer disso uma barreira entre você e as suas aventuras sociais:

ACEITE E RECONHEÇA O EMBARAÇO

Eu sempre digo que para um introvertido tímido o mais importante não é ultrapassar um desafio – é não fugir dele.

Assim sendo, aceite e reconheça que essas situações podem ser embaraçosas, mas não deixe de participar delas por isso. Como qualquer tipo de aprendizado na vida, as habilidades sociais precisam de prática e de repetição. É ela que ao longo do tempo irá transformar algo desconfortável em uma atitude simples e corriqueira – não existe outra forma de se fazer isso.

Evitá-las só fará você se sentir mal consigo mesmo e cada vez mais propenso a não enfrentar esses pequenos desafios.

NÃO É O QUE, MAS O COMO

Pode-se simplificar demais dizer que não é o que você diz, mas como você diz o que importa. Essa expressão possui outra conotação mas vou usá-la aqui no sentido de atentar para a sua expressão corporal.

Em muitos momentos nós nos preocupamos muito com o que dizer verbalmente, mas dependendo do que estamos expressando, a nossa linguagem corporal está dizendo exatamente o contrário.

Antes de esboçar qualquer opinião ou sentimento, esteja atento se o seu corpo corresponde aos sentimentos ou sensações que quer transmitir. Portanto, não diga nada verbalmente que não ressoe corporalmente. Em caso de dúvida, apenas sorria descontraidamente – não forçadamente.

SEJA CONFIANTE

Eu sei, eu sei. Esse conselho é meio clichê, mas pode ser útil. Se você age como se você tivesse confiança em si mesmo e que você gosta de si mesmo, a outra pessoa vai julgar você confiante também. Da mesma forma, quando você não esboça confiança sobre si mesmo as outras pessoas tenderão a não confiar em você também.

Por exemplo, se ao apresentar-se você é inseguro na forma como fala de sobre si mesmo, é pouco provável que você consiga arrancar alguma credibilidade que seja do seu interlocutor. O que quer que fale, fale com a convicção de que está falando algo adequado e sinta-se também adequado e confortável. Mais uma vez, podemos aplicar aqui o mesmo pressuposto do item anterior: não é o que se fala, mas o como se fala.

SEJA SIMPÁTICO

Bem, isso parece óbvio. Mas, honestamente, mesmo que você seja um pouco desajeitado, mas se você é, pelo menos, uma pessoa inábil agradável, a maioria das pessoas não vão te odiar.

Faça um cumprimento. Faça a outra pessoa uma pergunta sobre ela. Diga coisas como “obrigado” e “foi bom conhecê-lo”. Não é difícil de lembrar dessas coisas.

Às vezes nós estamos tão preocupados com a nossa própria falta de jeito que nós nos esquecemos convenções sociais básicas. Certo?

E você é um Introvertido tímido? Quais são as suas principais dificuldades no contexto social?


Sua introversão tem afetado de alguma forma a sua vida, seja nas suas relações, família ou trabalho?

Gostaria de saber mais sobre a introversão e suas características?

Tem dúvidas ou sugestões?

Escreva-me pois eu posso ajudá-lo. Pergunte-me como enviando um email para introvertidamenteblog@gmail.com.

PODE TAMBÉM NOS ENVIAR SUA QUESTÃO ATRAVÉS DO FORMULÁRIO ABAIXO:

Esse artigo foi útil para você? Se foi, pode ser para outras pessoas também. Curta e compartilhe!

Queremos fazer o melhor para você. Deixe aqui a sua avaliação do nosso conteúdo!

Sobre o autor

Marta Leite

Marta Leite
Eu sou uma mãe, esposa, Life e Business Coach. Cradora do Programa “Além da Introversão”. Uma introvertida intuitiva – INFJ – dos Tipos Junguianos. Uma apaixonada, entusiasmada e curiosa pelo Desenvolvimento Humano.

Deixe aqui o seu comentário!

%d bloggers like this: