Ciência e Personalidade Vida

Sou apenas um introvertido – não há nada de errado comigo

Sou apenas um introvertido - não há nada de errado comigo
Escrito por Marta Leite

Depois de algum tempo sendo chamado de tímido e muitas vezes sentindo-se diferente por causa de muitas das suas preferências você descobre: sou apenas um introvertido. O que fazer para lidar com sua introversão em um mundo que tende a super valorizar a extroversão?

Como diz Caetano Veloso: “Cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é”. E esse é o paradoxo que passamos a experimentar quando descobrimos que somos introvertidos. Eu passei boa parte da minha vida a questionar, e muitas vezes me sentir mal, sobre o meu comportamento, até saber que sou apenas um introvertido.

Não posso dizer que minha introversão me tenha trazido grandes conflitos na vida, mas eu sei que isso não é verdade para todo mundo. Afinal, vivemos em uma sociedade criada para os padrões e atributos dos extrovertidos: capacidades de socialização ilimitadas, comunicação assertiva, gosto por desafios e novas experiências. 

E se você acabou de descobrir que é um introvertido, ou já sabe há bastante tempo mas só agora começou a assimilar o desconforto que sofre quem é introvertido(no que concerne às exigências externas), aqui vão algumas dicas para melhor compreender e lidar com a introversão.

  1. Não queira ser diferente do que é

Muitos introvertidos adorariam ser extrovertidos e de ter a energia e destreza social que seus amigos extrovertidas têm. De estar mais à vontade para falar em grandes grupos sem ficar corado. Ou querer sumir quando ocorre de ser o centro das atenções. Perceba que o que você sente como sendo uma “falta” em si nada mais é do que as suas características de temperamento. 

Aprenda que a palavra “introvertido” é apenas um descritor amplo – e não um diagnóstico ou rótulo. Quanto melhor você compreendê-la mais facilmente você aprenderá a lidar com ela. E também desenvolverá mecanismos para ultrapassar algum tipo de dificuldade que você venha a ter. Achar que existe algo de errado conosco é o primeiro passo para começarmos a duvidar das nossas capacidades e isso é um terreno fértil para a instalação da baixa autoestima.

  1. Desenvolva seus potenciais como introvertido

O que você perderia se você não fosse um introvertido? Existem grandes potencialidades em quem tem um temperamento introvertido. Grandes gênios, como Albert Einstein, eram introvertidos e mudaram o mundo. Busque os seus e os desenvolva, ao invés de querer fingir ser o extrovertido que não é.

Eu, por exemplo, percebi que a minha preferência por ter conversas mais profundas, minha capacidade de ouvir as pessoas e o meu interesse por me aprofundar em assuntos poderiam ser usados em um trabalho onde esses requisitos fossem importantes. Por isso trabalho com Desenvolvimento Humano. Eu também me tornei uma pesquisadora séria do comportamento humano, o que tem sido muito útil para melhorar minhas atividades profissionais.

  1. Busque seus pares

Quando você encontrar pessoas que se comunicam e socializam da mesma maneira que você faz, mantenha-las ao redor. Fomentar as relações com as pessoas que são como você faz você se sentir mais confiante sobre quem você é. Para alguns introvertidos é muito fácil  se transformarem em eremitas. Isso é desnecessário quando podemos ser uns dos outros os melhores aliados.

Estenda a mão para outro introvertido para tomar um café, para ir a um museu, ou apenas para conviver enquanto faz um bom bolo. Pode também trocar ideias e buscar grupos de pessoas em chats ou facebook para trocar experiência e impressões. Outro introvertido provavelmente vai ter sensibilidades similares, então você não vai sentir que você tem que lutar para ser visto, ouvido ou entendido. Se conhecer também é se reconhecer na experiência do outro. A introversão ainda é muito pouco compreendida pelo próprio introvertido – talvez menos do que pela própria sociedade.

  1. Aprenda mais sobre sobre si mesmo

Segundo Carl Jung, existem várias níveis, digamos assim, de introversão. Entre estes dois extremos do temperamento existe um lugar onde cada um de nós se sente confortável. Um extrovertido ou um introvertido total, segundo ele, estaria em um manicômio. Dependendo de onde você se situa nessa escala, sua introversão não lhe afeta a vida – pelo menos não muito significativamente.

Mas há outras pessoas cuja a introversão pode ser não funcional para as suas relações ou a sua vida profissional. Faça um teste mais aprofundado sobre seu perfil de personalidade e descubra mais sobre o que rege o seu padrão comportamental. Leia bons livros ou busque na internet conteúdo de qualidade sobre o assunto.


Para fazer um teste de personalidades baseado no Modelo de Myers-Briggs®, clique aqui!


Sua introversão tem afetado de alguma forma a sua vida, seja nas suas relações, família ou trabalho?

Gostaria de saber mais sobre a introversão e suas características?

Tem dúvidas ou sugestões?

Escreva-me pois eu posso ajudá-lo. Pergunte-me como enviando um email para introvertidamenteblog@gmail.com.


Se este artigo lhe foi útil, curta e compartilhe!

Queremos fazer o melhor para você. Deixe aqui a sua avaliação do nosso conteúdo!

Sobre o autor

Marta Leite

Marta Leite
Eu sou uma mãe, esposa, Life e Business Coach. Uma introvertida intuitiva – INFJ - dos Tipos Junguianos. Uma apaixonada, entusiasmada e curiosa pelo Desenvolvimento Humano.

Deixe aqui o seu comentário!

%d bloggers like this: