Extroversão Introversão Relacionamentos

5 dicas essenciais para casais Introvertido-Extrovertido

5 dicas essenciais para casais Introvertido-Extrovertido
Escrito por Marta Leite
Relações amorosas são sempre um desafio. E podem o ser especialmente para casais introvertido-extrovertido. Aqui vão algumas dicas essenciais para lidar com estes desafios.

Como você já deve ter percebido, o tema introversão tem sido muito falado nos últimos tempos. Talvez você desconhecesse completamente o termo, até ter descoberto que a razão para alguns dos desafios na sua relação podem ter nome e endereço: vocês fazem parte do rol dos casais introvertido-extrovertido.

Muitos são os feedback e questões a respeito de relacionamentos de casais introvertido-extrovertido que tenho recebido dos leitores do blog. Razão pela qual eu decidi escrever um artigo para ajudar a esclarecer algumas questões que têm surgido. Eis aqui um breve resumo de alguns dos casos.

  • Uma leitora é introvertida e se sente pressionada pelo companheiro, que é um extrovertido e exige que ela aja extrovertidamente. Ele a rotula de antissocial.
  • Outro leitor é introvertido e tem uma parceira extrovertida. Ele pede dicas de como viver juntos de modo agradável e feliz.
  • Uma leitora relata que o parceiro introvertido parece distante. E que, mesmo aparentando gostar dela, ele parece não confiar na mesma pois não partilha com ela algumas coisas que ela acha que seria importante partilhar.
  • Um outro leitor extrovertido disse amar muito a namorada introvertida. Ele deseja saber o que fazer para não a magoar, pois eles possuem personalidades bem diferentes.
Para início de conversa…

Saber as diferentes características de temperamento é profundamente capacitante para muitos de nós. Aceitar nossa própria necessidade de espaço e as necessidades semelhantes ou conflitantes da outra pessoa, e respeitar nossas próprias e outras maneiras de interagir com o mundo – tudo é bom. Isso nos leva a um nível de aceitação que só pode melhorar nossos relacionamentos e nossa humanidade. Mas quando se trata de relacionamentos, “Eu sou introvertido”, ou “Ele (ou ela) é um introvertido”, é apenas o início da conversa.

Como bem lembrou Marti Olsen Laney, no seu livro As Vantagens de Ser Introvertido, uma relação é sempre uma espécie de dança onde um tem preferência por uma rumba, enquanto o outro está mais para um chá-chá-chá”. Então, como fazer para encontrar a sintonia entre estas duas preferências? Como dançar em harmonia para que nenhum dos dois saia com machucados no dedão do pé?

“Seria um mundo muito chato se fôssemos todos iguais. Precisamos de todas as nossas forças e limitações para devorar a vida.” –Marti Olsen Laney

Dito isso, aqui vão algumas regras básicas para casais introvertido-extrovertido:

  1. Não se assuste. Você vai aprender a lidar com as diferenças.

Você é um extrovertido e seu parceiro acabou de descobrir que a introversão dele é ok – viva!. Isso é certamente uma festa para ele que, depois de uma vida sentindo-se falho, pode agora saborear um pouco o gostinho de não ser mais visto como um estranho. No entanto, você deve estar assustado. Mas, tudo bem. O seu parceiro apenas acabou de descobrir que sua introversão é legal. Isso passará, e as diferenças entre introvertidos e extrovertidos serão compreendidas e aceites. Vamos aprender a trabalhar com a variedade, e tudo ficará bem.

  1. Valorize as diferenças.

Embora a relação de casais introvertido-extrovertido seja a mais desafiante, ela é também a que mais pode lhe ajudar a esticar um pouco a corda, complementar você e ajudar no seu crescimento pessoal. Se deseja acrescer de valor e harmonia a sua relação introvertido/extrovertido, comece por valorizar os aspectos que mais lhe agradam no seu parceiro. Diga-lhe isso verbalmente ou escreva-lhe um cartão reafirmando isso. Os introvertidos têm dificuldade em dizer que apreciam o parceiro. Nem sequer percebem o porque é que isso precisa ser dito em voz alta. Os extrovertidos estão tão ocupados indo e fazendo, que poderão esquecer-se de dar valor ao que têm em casa.

  1. Respeite os direitos de um introvertido, mas não desista do seu.

Você está começando a aprender sobre as necessidades de um introvertido. Como relataram alguns dos nossos leitores, você deseja sinceramente manter uma relação harmoniosa respeitando os direitos de seu parceiro introvertido nas suas reivindicações por tempo sozinho para recarregar. Você então abre mão de socialização ou de outras coisas em função do parceiro introvertido. Mas, nenhum relacionamento pode correr bem se se fizer sempre a vontade de uma das pessoas.

Seja respeitoso com as necessidades do seu parceiro, no entanto, não o exima de respeitar as suas. Você tem direito a dizer algumas vezes: “É importante para mim que você venha para esta festa”, ou, “Eu entendo que você precisa de solidão, mas não é justo comigo você passar todas as noites sozinho em sua ‘toca’. Temos de assumir um compromisso. E compromisso é uma via de mão dupla.”

  1. Às vezes, você precisa perguntar (e ouça).

Introvertidos precisam que se puxe por eles para que possam expressar suas opiniões e necessidades. Os extrovertidos por sua vez não possuem bola de cristal. E qualquer que seja o lado em que você esteja, pergunte, e ouça. É útil para isso fazer perguntas específicas. O que seu introvertido mais detesta fazer? Que tipo de socialização é menos problemática para ele ou ela? Quais são os seus parâmetros?

Você pode nunca ter dado atenção a estes aspectos. Mas talvez se você fizer algumas perguntas, você vai começar a descobrir o meio termo entre as suas necessidades e as do seu parceiro para que ambos sejam contemplados. Talvez você precisa de ir para grandes festas sozinho ou com amigos, mas seu parceiro prefere pequenos encontros e jantares. Vocês estarem afinados é importante, e esta afinação começa por perguntar e saber ouvir.

  1. Considere se você tem um problema de relacionamento.

Uma relutância em comprometer ou atender às suas necessidades não é um problema de introversão, é uma questão de relacionamento. Se você expressa uma necessidade genuína e seu parceiro se recusa a reconhecê-la, pelo menos em parte, então você está lidando com algo diferente de um introvertido ser um introvertido. “Porque eu sou um introvertido” não é uma carta branca a ser usada como uma razão para ele evitar passar tempo com você, fazer as coisas que você quer fazer, ou discutir assuntos importantes. Então aqui você tem a permissão para chamar a atenção do seu parceiro sobre isso.

Você pode ouvir algo que você não quer ouvir se você tentar chegar ao cerne da questão, mas se você quiser corrigir um problema, você tem que saber exatamente qual é o problema.

O problema poderia ser o relacionamento se:

  • Parece não haver fim a quantidade de solidão que seu parceiro precisa.
  • A pessoa que você está namorando desliga-se de você muitas vezes.
  • Você tem que implorar por atenção.

Assim como é inadequado para o introvertido usar sua introversão como uma desculpa para não atender às necessidades de um parceiro, não é produtivo para você jogar problemas mais profundos para o fosso extrovertido/introvertido. Se um relacionamento que antes prometia não está resultando, você pode precisar cogitar a ideia de deixá-lo ir. Se um casamento ou outra relação importante está balançando, considere ajuda profissional.

Espero que isto lhe ajude.

Algo mais, deixe o comentário ou me escreva!


Referências:

As Vantagens de Ser Um Introvertido, de Marti Olsen Laney.

The Everything Guide To The Introvert Edge, de Arnie Kozak.

Sophia Dembling, no blog Introvert’s Corner no Psychology Today.


CURTA TAMBÉM  A NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK E PARTICIPE DO NOSSO GRUPO:

GRUPO: Grupo Introvertidamente no Facebook.

PÁGINA: Facebook/introvertidamente

PODE TAMBÉM FAZÊ-LO ENVIANDO O FORMULÁRIO ABAIXO:

Queremos fazer o melhor para você. Deixe aqui a sua avaliação do nosso conteúdo!

Sobre o autor

Marta Leite

Marta Leite
Eu sou uma mãe, esposa, Life e Business Coach. Cradora do Programa “Além da Introversão”. Uma introvertida intuitiva – INFJ – dos Tipos Junguianos. Uma apaixonada, entusiasmada e curiosa pelo Desenvolvimento Humano.

Deixe aqui o seu comentário!

%d bloggers like this: