Big Five Introversão Teorias da Personalidade

A Teoria Big Five da Personalidade: Os 5 Fatores Explicados (áudio-texto)

A Teoria Big Five da Personalidade: Os 5 Fatores Explicados
Escrito por Marta Leite
Ouça aqui o artigo completo
Também no Souncloud

Das teorias de personalidade existentes, a mais largamente usada para saber sobre introversão é o Big Five, ou Modelo dos Cinco Grandes Fatores. Conheça mais sobre ele e faça um teste para conhecer um pouco mais sobre si mesmo.

Dos diferentes sistemas de verificação de personalidade existentes no mundo, O MBTI (Myers-Briggs Type Indicator) e o Big Five, ou Modelo dos Cinco Grandes Fatores, são os mais pesquisados quando se trata de introversão. A Teoria de Personalidade Big Five é a mais bem conhecida. Ela vê a introversão ocorrendo ao longo de um contínuo com a “extroversão”. Você ou tem mais ou menos traços extrovertidos. O MBTI teve uma larga influência nos negócios, coaching e aconselhamento. O MBTI descreve a Introversão não como um modelo, mas como uma tendência básica. Introvertidos terão diferentes personalidades baseado na sua biologia, aprendizado e experiências.

Se você é um introvertido, certamente que já conhece o MBTI. Resolvi repostar aqui uma explicação sobre a Teoria do Big Five de Personalidade. Este artigo é uma tradução do original que aparece no site Positive Psychology Program.


“Nós não vemos as coisas como elas são, nós as vemos como nós somos.” – Anaïs Nin

Um dos conceitos mais complexos no campo da psicologia é a teoria da personalidade. A teoria da personalidade circundante tem um ar de mistério e incerteza que suscinta frequentes debates entre acadêmicos.

A personalidade é predeterminada desde o nascimento? É resultado exclusivamente do ambiente em que uma pessoa cresce? É estável ou maleável?

No entanto, quando você tira as nuances, a personalidade não é nada mais do que uma tendência a se comportar de uma certa maneira que persiste ao longo da vida. Pense na personalidade como os blocos de construção de quem você é.

Estes blocos de construção centrais estabelecem a base para outros traços mais contextuais e específicos. Por exemplo, traços como “carisma”, “ousadia” e “gregariedade” podem ser explicados por um traço mais amplo de “extroversão”.

O “Big Five” é uma teoria da personalidade que identifica cinco fatores distintos como central para a personalidade: Abertura à Experiência, Conscienciosidade, Extroversão, Amabilidade e Neuroticismo.

O modelo de cinco fatores pode ser mais facilmente lembrado através da sigla em inglês: OCEAN.

Teoria Big Five de Personalidade

Abertura à Experiência

O primeiro fator do modelo Big Five, a abertura para a experiência, enfoca a apreciação da arte e da beleza, bem como uma recepção geral à novidade. Cada um dos cinco fatores é dividido em seis facetas distintas. As facetas da abertura à experiência incluem:

  • Fantasia: vida mental ativa e forte imaginação; vida interior rica e criativa.
  • Estética: forte valorização da arte e da beleza; movido pela poesia, arte e música.
  • Sentimentos: receptivos aos próprios sentimentos e emoções; sentir emoções muito intensamente.
  • Ações: dispostos a explorar novos lugares, experimentar novos alimentos e experimentar novas atividades.
  • Ideias: curiosidade intelectual; gozo por argumentos filosóficos e quebra-cabeças.
  • Valores: pronto para explorar e avaliar seus próprios valores sociais, políticos e religiosos.
Pontuação Alta

Indivíduos com pontuação alta na abertura à experiência tendem a ser muito criativos e receptivos às novas ideias e atividades. Eles geralmente possuem uma vida interna rica e extensa, frequentemente gastando seu tempo pensando em conceitos e meditando em obras de arte recentemente vistas ou teorias intelectuais recentemente aprendidas.

Pontuação Baixa

Aqueles que pontuam baixo na abertura à experiência são mais inclinados para o pensamento convencional. Sua escala dos interesses é tipicamente mais estreita e tendem a ser mais pé-no-chão.

Conscienciosidade

O segundo fator deste modelo, a conscienciosidade, gira em torno da ideia de organização e perseverança. As seis facetas da conscienciosidade são:

  • Competência: capacidade de lidar com desafios e dificuldades da vida.
  • Ordem: clareza e abordagem metódica das tarefas; clareza na vida.
  • Senso de Dever: governado pela consciência; muito dogmático em seus valores.
  • Realização-Esforço: disposição para trabalhar duro; fortemente motivado por metas.
  • Autodisciplina: capacidade de seguir com as tarefas e limitar a distração.
  • Deliberação: tendência a contemplar cuidadosamente as decisões antes de agir.
Pontuação Alta

Os melhores pontuadores na conscienciosidade tendem a ser muito confiáveis e trabalhadores dedicados. É provável que você veja um deles criando muitas listas de tarefas e quebrando grandes metas em etapas possíveis. Eles dependem fortemente da organização e usam uma abordagem metódica para atingir seus objetivos. Eles estão dispostos a dedicar uma enorme quantidade de esforço para ter sucesso.

Pontuação Baixa

Aqueles que pontuam baixo em conscienciosidade tendem a ser mais impulsivos e descontraídos. A espontaneidade costuma caracterizar sua abordagem às situações acadêmicas e vocacionais. Eles vão com o fluxo e fogem para longe de horários e planos concretos.

Extroversão

O terceiro fator do modelo Big Five é a extroversão, que se concentra na sociabilidade e de onde os indivíduos retiram sua energia. As pontuações baixas nesta dimensão tendem a indicar uma fonte de energia mais interna, enquanto as pontuações elevadas denotam uma fonte externa de energia. As seis facetas da extroversão são:

  • Calorosidade: facilidade de aproximar-se das outras pessoas; carinhoso e amigável.
  • Gregariedade: preferência pela companhia dos outros; evitar estar sozinho.
  • Assertividade: tendência para liderar e dominar situações sociais.
  • Atividade: disposição energética; estilo de vida acelerado e propensão para ocupação.
  • Buscador de Entusiasmo: desejo de alegria e estimulação; preferência por ruído.
  • Emoções Positivas: tendência a experimentar emoções positivas; inclinação para o otimismo.
Pontuação Alta

Indivíduos que pontuam alto na extroversão tendem a preferir estar na presença de outras pessoas. Eles são muitas vezes descritos como a “alma da festa”. Eles preferem estar no centro das atenções e frequentemente se envolvem em comportamentos de busca de emoção. Eles deixam as situações sociais se sentindo animados e cheios de energia.

Pontuação Baixa

Baixos marcadores na extroversão tendem a ser mais introvertidos ou reservados na natureza. Estar cercado por pessoas pode deixá-los sentindo drenados e exaustos. Eles preferem mais atividades individuais, como a leitura. Seus estilos de vida são mais lentos e deliberados, e possuem uma inclinação para a quietude.

Amabilidade

O quarto fator do modelo Big Five é a concordância, que gira em torno da ideia de confiança, honestidade e conformidade. Indivíduos que são agradáveis tendem a ser mais simples e tolerantes por natureza. As seis facetas são:

  • Confiança: inclinado a acreditar que os outros são honestos e bem-intencionados.
  • Simplicidade e sinceridade na expressão de opiniões e pensamentos.
  • Altruísmo: fortemente movido e dedicado à promoção do bem-estar dos outros; extremamente generoso.
  • Conformidade: inibição da agressão, deferência aos outros em conflitos interpessoais.
  • Modéstia: humildade em falar de realizações próprias.
  • Empatia: altamente simpático e preocupado com os outros.
Pontuação Alta

Os melhores pontuadores em termos de condescendência são tipicamente mais moderados interpessoalmente. Eles tendem a procurar o melhor em todos com quem se encontram e manter a lealdade ao mais alto padrão. Pode-se contar com eles por serem generosos, honestos, confiáveis e muito preocupados com o bem-estar dos outros.

Pontuação Baixa

Indivíduos que pontuam baixo em amabilidade tendem a ser mais suspeitos dos motivos daqueles que encontram. Eles são bastante cínicos e céticos sobre o mundo ao seu redor. Além disso, eles estão mais dispostos a usar a lisonja ou a astúcia para receberem favores dos outros.

Neuroticismo

O fator modelo final do Big Five é o neuroticismo, que se concentra na experiência das emoções negativas. Indivíduos que caem na categoria neurótica tendem a ser mais propensos a mudanças de humor e reatividade emocional. As seis facetas do neuroticismo são:

  • Ansiedade: medo, tensão, inquietação.
  • Hostilidade Enfurecida: tendência a experimentar frustração e amargura, bem como raiva.
  • Depressão: propensão a experimentar sintomas depressivos, como perda de energia, dificuldade de concentração e problemas com o sono.
  • Autoconsciência: desconforto em torno dos outros; frequentes experiências de vergonha e constrangimento.
  • Impulsividade: incapacidade de controlar desejos ou impulsos.
  • Vulnerabilidade: dificuldade em lidar com o estresse; dependência de outros para apoio.
Pontuação Alta

Aqueles que pontuam alto no neuroticismo tendem a experimentar emoções negativas muito intensamente e têm dificuldade em controlar essas emoções quando elas surgem. Eles são mais vulneráveis à angústia psicológica do que os indivíduos que pontuam mais baixo nesta faceta e tendem a prestar uma quantidade significativa de atenção ao seu próprio comportamento em situações interpessoais.

Pontuação Baixa

Os marcadores baixos no neuroticismo são tipicamente mais estáveis em sua experiência de emoções. Eles são mais calmos e relaxados em tempos de estresse e tendem a ser bastante lentos para a raiva. Eles geralmente confiam em sua capacidade de lidar com situações estressantes e não internalizam situações sociais desconfortáveis.

Pensamentos finais

Ao discutir este modelo, é importante ter em mente que uma alta ou baixa pontuação em qualquer fator particular não é necessariamente bom ou ruim. Por exemplo, há situações em que ser mais complacente e inclinado a confiar nos outros é benéfico e há outras situações em que uma abordagem mais cética seria a escolha mais sábia.

O Big Five é uma ótima maneira de obter mais informações sobre sua própria experiência interna para que você possa fazer mais sentido de seus próprios pensamentos e comportamentos.

“Aquele que olha para fora, sonha; aquele que olha para dentro, desperta. ” –Carl Jung

PARA CONHECER AS SUAS PONTUAÇÕES NO BIG FIVE, CLIQUE AQUI PARA FAZER UM TESTE.

O link do mesmo está em português com uma tradução do inglês feita no Google, o que pode trazer confusão com os termos para os que não estão bem familiarizados com o idioma. O resultado poderá sair em Inglês. Pode usar um tradutor do seu browser.

A minha pontuação no Big Five é a seguinte:

  • Abertura à experiência = 70%
  • Conscienciosidade = 95%
  • Extroversão = 64%
  • Amabilidade = 94
  • Neuroticismo = 7%  

E você, gostaria de compartilhar conosco o seu?

 

CURTA TAMBÉM  A NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK E PARTICIPE DO NOSSO GRUPO:

GRUPO: Grupo Introvertidamente no Facebook.

PÁGINA: Facebook/introvertidamente

ebook-imagem-destaque-site


Fonte: 
Positive Psychology Program – The Big Five Personality Theory: The 5 Factors Explained


PODE TAMBÉM NOS ENVIAR SUA QUESTÃO ATRAVÉS DO FORMULÁRIO ABAIXO:

GuardarGuardar

GuardarGuardarGuardarGuardarGuardarGuardar

GuardarGuardar

GuardarGuardar

GuardarGuardar

GuardarGuardar

GuardarGuardar

GuardarGuardar

GuardarGuardar

GuardarGuardar

GuardarGuardar

GuardarGuardar

Queremos fazer o melhor para você. Deixe aqui a sua avaliação do nosso conteúdo!

Sobre o autor

Marta Leite

Marta Leite
Eu sou uma mãe, esposa, Life e Business Coach. Cradora do Programa "Além da Introversão". Uma introvertida intuitiva – INFJ - dos Tipos Junguianos. Uma apaixonada, entusiasmada e curiosa pelo Desenvolvimento Humano.

Deixe aqui o seu comentário!

%d bloggers like this: