Aprenda a como manter uma conversa fluindo

Muitos introvertidos, quer sejam tímidos ou não, se dizem pouco confortáveis principalmente nas conversas circunstanciais com estranhos. Eles queixam-se principalmente dos brancos na hora de pensar sobre o que falar a seguir. Aqui vão dicas que podem ajudá-lo nestes momentos.

Um dos pedidos que eu mais recebo, tanto dos leitores do blog, dos membros do nosso grupo no Facebook e também nos aconselhamentos que faço, é que dê dicas sobre como iniciar uma e conduzir uma conversa. Muitos dos introvertidos, quer sejam tímidos ou não, se dizem pouco confortáveis principalmente nas conversas com estranhos em princípio. Eles se queixam principalmente dos brancos na hora de pensar sobre o que falar a seguir em uma conversa.

Durante boa parte da minha vida, eu sempre tive dificuldade em puxar assunto, principalmente com pessoas novas. Um dos motivos pelos quais isso me ocorria era principalmente pelo medo de não saber o que dizer a seguir.

O problema

Seja você apenas um introvertido pouco confortável com as suas habilidades sociais, ou alguém que também seja tímido ou ansioso social, você certamente experimenta as seguintes situações:

  • Faltam-lhe palavras para dizer;
  • Você é constantemente acometido pelos famosos “brancos” no meio de uma conversa;
  • Silêncios constrangedores;
  • Realmente não saber como manter uma conversa fluindo;
  • Não se sentir confiante o suficiente para puxar uma conversa.

A Anatomia de uma Conversa

Conversas introvertidosE se eu lhe dissesse que uma conversa possui padrões e você pode aplicar algumas técnicas para mantê-la fluindo?

Embora nem sempre percebamos, uma conversa possui uma certa “anatomia”. E a ideia é usar uma técnica que de acordo com esta anatomia que pode lhe ajudar a:

  • Sempre saber o que dizer a seguir;
  • Fazer uma conversa fiada se tornar mais fácil e menos desconfortável;
  • Não mais silêncios embaraçosos por “falta de assunto”;
  • Não mais o medo que sua mente dê um “branco”.

Bem, se você ficar bem atento à próxima dica, você sempre saberá o que dizer a seguir nas suas conversas. Essa simples dica vai permitir que você aprecie uma longa, interessante, e fluida conversa com as pessoas sem ter que fazer um esforço extremo.

Assim, após o básico “Como você está?” outras declarações introdutórias estão terminadas, e uma vez que agora se sente energizado com a reciprocidade e alguma curiosidade natural sobre a pessoa recém-descoberta, você começa a conversar.

A solução

Um conceito muito útil e que eu gosto de usar é uma técnica simples, chamada de “Conversation Thread”. Ela é simples, porém bastante eficaz. E é algo que, quando você observa os padrões das conversas nas interações interpessoais, isso é algo que todas as pessoas acabam por fazê-lo naturalmente.

Essa ideia pode começar a ser usada em conversas logo no início, e ao ouvir a outra pessoa falando – e eu quero dizer realmente escutando e não estando tão preocupada com o que você vai dizer a seguir – isso permitirá que você mantenha conversas fluindo por um período de tempo quase infinito.

O encadeamento de uma conversa é basicamente escolher uma palavra ou um tópico que a outra pessoa diz, depois se relacionar a ela por meio de uma anedota, oferecer uma opinião ou comentário ou fazer uma pergunta pertinente. Veja quantas oportunidades de conversação estão em uma possível resposta a uma pergunta típica de abertura:

Ao perguntar a alguém de onde ele é, e obtendo a seguinte resposta:

Introvertidos conversasEmbora muitas dessas respostas dos exemplos sejam de fato perguntas, novamente, a chave para uma boa conversa é um equilíbrio entre perguntas, comentários e anedotas (caso você se sinta confortável em fazê-las, o que é o meu caso). Muitas perguntas, e depois de um tempo a pessoa vai sentir que está sendo interrogada.

O cenário acima foi extremamente afortunado para mim, como a pessoa foi em todos os três lugares mencionados, mas que tal um exemplo menos óbvio de oportunidades de segmentação:

Ao perguntar a alguém o que eles fizeram no fim de semana:

Introvertidos conversasUm certo elemento de criatividade entra em jogo com tudo isso, e fica entusiasmante ver que tipo de tópicos você pode tirar uma conversa dos assuntos mundanos.

As conversas podem ser comparadas a um jogo de pingue-pongue – e embora tudo dependa dos tipos de personalidade na conversa (por exemplo, um introvertido falando com um extrovertido provavelmente fará um percentual menor de fala). No geral, normalmente uma conversa tem uma estrutura como essa:

Uma pergunta

B: Resposta, pergunta

A: resposta, anedota

B: Opinião, Pergunta

A: Opinião

E assim por diante.

E, talvez até contra-intuitivamente, tornar-se um grande conversador é mais sobre se tornar um ouvinte habilidoso do que um orador habilidoso. Prestar atenção aos detalhes da linguagem corporal, das emoções e das palavras da outra pessoa oferece infinitas oportunidades de falar por quase sempre.

Se agarrar em uma palavra é mais do que uma técnica – é também um conselho de vida extremamente prático.

Para finalizar, é importante lembrar que esta é apenas uma mera amostra de possibilidades em uma interação pessoal, mas já é um bom começo. Se você começar a praticar a técnica, isso naturalmente lhe abre portas para explorar outros caminhos.

E você, como são as suas habilidades nas interações interpessoais? Comente, dê sugestões, curta e compartilhe esse videopost.

Se quiser falar diretamente comigo, pode fazê-lo através do formulário abaixo:

Quer compreender mais acerca de si mesmo? Preencha os seus dados e receba agora mesmo o seu eBook!

* indicates required
0 replies

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe aqui o seu comentário!

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Gosta do nosso conteúdo?

Assine agora e receba mensalmente as atualizações do nosso site!

I agree to have my personal information transfered to MailChimp ( more information )

Nós não negociamos endereços de email! Você poderá sempre cancelar a sua subscrição!

Marta Leite
Eu sou Life e Business Coach. Criadora do Programa “Além da Introversão”. Uma introvertida intuitiva – INFJ – dos Tipos Junguianos. Trabalho com introvertidos ajudando-os a lidar com os desafios do traço e a identificar e desenvolver seus potenciais.