Ruminação: revivendo conversações em minha cabeça

Repetindo conversas depois que você fala com alguém, mesmo que não seja um estranho? Você se vê repetindo estas conversas na sua cabeça depois? Você não está sozinho. Porém, nem sempre essa ruminação traz consequências positivas para você. Leia e entenda melhor!

Ruminação: revivendo conversações em minha mente

Repetindo conversas depois que você fala com alguém, mesmo que não seja um estranho? Você se vê repetindo estas conversas na sua cabeça depois? Você se debruça sobre o que disse especificamente e talvez se questione sobre sua atuação na grande maioria das vezes? Você gostaria de ter dito algo diferente ou se preocupa se você se saiu como rude ou de outra forma desagradável?

Você não está sozinho.

O que é a ruminação?

Segundo a psicologia, “A ruminação refere-se à tendência de pensar repetidamente sobre as causas, fatores situacionais e consequências da experiência emocional negativa de alguém”.

Enfim, a ruminação é uma maneira de planejar e controlar a ansiedade. Significa reproduzir eventos da vida para garantir que, da próxima vez, fiquemos totalmente preparados e não ficaremos ansiosos. Muito embora ela seja bem intencionada, infelizmente ela é inútil. A ruminação nunca para a preocupação; apenas a recompensa.

Um dos meu piores hábitos de ruminação é repetir conversas, numa tentativa de descobrir se posso ter saído mal ou dito algo que não deveria. Isso é particularmente presente em momentos em que quero causar uma primeira boa impressão ou quando a minha performance interpessoal deve passar por algum tipo de avaliação, mesmo que ela não se prolongue por muito tempo.

Por vezes, nós apenas falamos por um minuto e mesmo assim ficamos repassando a conversa em nossas mentes por noites afora, dormimos mal e depois continuamos pensando em cada palavra no dia seguinte. Será que disse algo que não deveria? Será que pareci pouco inteligente? Será que meu nervosismo ficou muito visível?  Será que acusei uma boa impressão? … blá, blá, blá…

Quer compreender mais acerca de si mesmo? Preencha os seus dados e receba agora mesmo o seu eBook!

* indicates required

Por que revivemos estas conversas?

Bem, o que eu descobri é que pode haver algumas razões pelas quais fazemos isso. Uma é a crença de que, ao se concentrar no fracasso no momento desconfortável, no momento difícil, vamos aprender algo que nos ajudará a melhorar no futuro. Essa é uma das razões pelas quais podemos fazer isso. Uma maneira geralmente ruim de aprender, nos concentrando em todos os nossos erros e sem realmente encontrar soluções que corrijam o que você poderia ter dito ou feito, mas apenas repetindo o mesmo erro várias vezes.

E há mais uma razão poderosa pela qual nós repetimos conversas em nossa cabeça. Talvez essa seja a maior razão de todas: é aquela parte de você que quer mantê-lo seguro. Mantê-lo dentro de sua zona de conforto, sempre que você se propõe a fazer algo fora de sua zona de conforto, ela fica lhe aterrorizando sobre todas as possibilidades onde você eventualmente pode sofrer rejeição – e ela apenas quer te poupar dessa dor.

Como parar de repetir as conversas em sua mente?

A única maneira de fazer isso é se libertar e acabar com esse padrão de uma vez por todas. Antes de mais nada, é importante perceber que isso não serve para você de forma alguma. Então, tudo o que estamos falando antes desta pausa sobre o porquê você está fazendo isso é para que você consiga enxergar esse padrão sob esta perspectiva: esse padrão de pensamento não é útil para você, não vai ajudar você a aprender, não vai melhorar sua confiança de maneira alguma.

Dito isso: por que você ainda vai querer prestar atenção a essa reprise em sua mente?

Qual é a solução para esse processo exaustivo?

Eu tenho feito um esforço consciente e consistente para evitar este tipo específico de ruminação. Tenho treinado mais forte o hábito de procurar o positivo em todas as situações como uma forma salvaguarda. Afinal de contas, eu já sei que a ruminação estará simplesmente procurando por negatividade. Enfim, buscando por formas de me impedir de sair da minha zona de conforto e de me fazer evitar as terríveis dores de uma rejeição.

Para além destes mecanismos otimistas, que por vezes podem parecer um tanto ilusórios, há certos fatos que nós temos que encarar. Talvez isso nos leve muito tempo antes de aceitar, mas vale a pena pensar sobre:

  • Não podemos controlar como outras pessoas nos veem.
  • As pessoas estão mais preocupadas com elas mesmas do que com o que as outras pessoas dizem e fazem.
  • Outras pessoas podem e irão nos julgar, e isso não importa. Você não é definido pela adoração dos outros. Você é muito mais que isso.
  • Você nunca sabe o que vai acontecer no futuro, e você está improvisando muito bem a vida toda.

E você, quer partilhar comigo as suas ruminações? Gostaria de ouvi-lo!

A sua introversão traz algum tipo de bloqueio para a sua vida pessoal ou profissional?

0 replies

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe aqui o seu comentário!

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Gosta do nosso conteúdo?

Assine agora e receba mensalmente as atualizações do nosso site!

I agree to have my personal information transfered to MailChimp ( more information )

Nós não negociamos endereços de email! Você poderá sempre cancelar a sua subscrição!

Eu sou Marta Leite, mãe, esposa, Humanistic Professional Coach – IHCOS®, produtora e facilitadora de conteúdos de desenvolvimento pessoal para introvertidos e personalidades sutis. CEO fundadora do site Introvertidamente. Sou uma introvertida intuitiva de Carl Jung, uma INFJ do sistema Myers-Briggs e uma Idealista do sistema de personalidades Keirsey.