Até que ponto você compreende a timidez, a introversão e a ansiedade social?

Introversão, Timidez ou Ansiedade Social, as diferenças são mais do que na semântica; é saber como eles lhe afetam e quando alguma ajuda se faz necessária.

Até que ponto você compreende a timidez, a introversão e a ansiedade social?

Desde muito cedo nós aprendemos o que é ser tímido. Esse é o primeiro aprendizado que o mundo nos ensina desde muito cedo.

No meu caso, não me considero que tenha sido uma criança tímida, mas sempre fui bem mais quieta e reservada do que os meus irmãos. Durante minha adolescência, veio a preferência por livros em vez de festas aos sábados à noite. Meus pais sempre me descreveram como uma menina mais “caseira” do que social no geral.

Entretanto, quando a fase adulta chegou, e eu fui confrontada com necessidades profissionais, comecei a me deparar com dificuldades em contextos sociais. Por exemplo, eu me sentia desconfortável em me aproximar de pessoas novas e engrenar conversas. Eu me sentia muito auto-consciente sendo o centro das atenções em contextos sociais. Eu me sentia desconfortável em engajar em conversas superficiais de grupo. Então, eu comecei a me sentir frustrada, incapaz e com dúvidas sobre mim mesma, pois comecei a ver os meus objetivos pessoais comprometidos, uma vez que criar e manter relacionamentos era parte fundamental para o meu crescimento pessoal e profissional.

Tímida, eu?

Até então, o único diagnóstico que eu conseguia fazer sobre as minhas próprias dificuldades era de que eu era uma pessoa tímida ou com ansiedade social – o que era sempre contestado pelas pessoas que viviam próximas de mim.

Ao ter contato com o termo introversão, vi que ele explicava não somente muitas das minhas características mas também algumas das dificuldades que eu tinha. À medida que me aprofundei nos meus conhecimentos sobre mim mesma, tive a compreensão de que eu finalmente não sofria de Ansiedade Social, visto que as minhas apreensões com interações sociais não havia qualquer tipo de preocupação com a opinião das outras pessoas. Muito menos medo de cometer falhas ou dar vexames. Descobri que apenas era um pouco tímida, o que foi se resolvendo com algumas técnicas específicas.

AS CONFUSÕES DO TERMO

Desde que venho trabalhando com o meu programa de coaching para introvertidos, eu me deparo com pessoas que trazem as mesmas questões que eu um dia também tive. Um deles, por exemplo, passou boa parte da vida se esticando para fazer um trabalho socialmente muito exigente, ao mesmo tempo que sofria de ansiedade social – até então desconhecido e só depois diagnosticado -, o que ele apenas julgava ser introversão ou timidez.

Não é surpresa que muitos de nós estejamos confusos. Como eu já disse em um vídeo postado aqui mesmo, das dúvidas mais comuns até mesmo para introvertidos, é sobre qual é a diferença entre os termos Introversão, Timidez e Ansiedade Social. Entender a diferença é mais do que apenas uma questão de semântica; é saber quando procurar ajuda e acreditar que uma mudança é realmente possível.

Neste post, vou tentar delinear uma maneira de você perceber se pode ter algum nível de Ansiedade Social. Vale ressaltar aqui que a informação aqui contida é apenas uma referência baseada no que a psicologia entende como sendo características de Ansiedade Social. Isto, de forma alguma, nos responsabiliza por auto-diagnósticos que o leitor venha a fazer. Caso se identifique com sintomas aqui apresentados, é imperativo procurar um profissional de saúde mental.

O QUE ESTÁ PARA ALÉM DOS RÓTULOS?

No geral, o que as pessoas querem dizer quando elas usam termos como “timidez”, “introversão” ou “ansiedade social”, estão procurando maneiras de entender uma série de sentimentos que estão vivenciando, e, ao mesmo tempo, se perguntando o que devem fazer a respeito desses sentimentos. O problema, no entanto, é que as definições para esses termos são imprecisas e inconsistentes. As pessoas geralmente se rotulam mal e, como resultado, entendem mal o que estão vivenciando.

Então, ao invés de focar em rótulos como “timidez”, “introversão” ou “ansiedade social”, eu encorajo as pessoas a se concentrarem em dois pontos importantes:

  1. Se ela se sente nervosa em situações sociais – e qual o nível desta ansiedade e
  2. Se essa ansiedade a impede de alcançar os próprios objetivos.

Então, isso pode também ser dito para você: se ambos forem verdadeiros para você, seria o caso de procurar um profissional psicólogo, preferencialmente um cuja abordagem seja baseada em Terapia Cognitivo Comportamental, que é a abordagem cientificamente mais recomendada para tratar de Ansiedade Social nos seus diversos níveis.

1. Fico nervoso em situações sociais?

Todo mundo sabe o que é se sentir nervoso em torno de outras pessoas. Esses sentimentos podem variar em intensidade, desde algo leve que faz com que você fale menos quando encontra novas pessoas, até algo mais extremo que faz com que você fique doente porque está nervoso demais para fazer uma apresentação. Os psicólogos definem esse nervosismo em relação aos outros como timidez, sejam os sentimentos leves ou agudos.

Quando sua timidez é mais intensa, ela geralmente é acompanhada de sensações físicas como suor, tremor e palpitações no coração. Você se sentirá extremamente ansioso em situações sociais porque está preocupado com o fato de outras pessoas estarem julgando você. Como resultado, você pode começar a evitar totalmente situações sociais ou apenas suportá-las sob grande pressão. Os psicólogos geralmente chamam isso de Ansiedade Social. [2]

Este diagrama é uma generalização. Há casos em que alguém com ansiedade social não é tímido (ver notas).

2. A sua ansiedade impede você de atingir seus objetivos?

O nervosismo em torno dos outros, seja leve ou grave, não é necessariamente um motivo para procurar ajuda. É importante também considerar se a ansiedade em situações sociais está impedindo você de atingir seus objetivos.

Imagine este cenário: você acabou de começar um novo emprego e um colega de trabalho de quem você se tornou amigo convida você para um happy hour com um monte de outras pessoas da equipe. Você tende a ficar nervoso em torno de novas pessoas, e se preocupar se você parecerá estranho ou desconfortável, então inventa uma desculpa e diz ao seu amigo que você já tem planos. Isso significa que você deve considerar procurar ajuda?

A resposta depende de se fazer amigos com seus colegas de trabalho é um objetivo. Talvez você já tenha um círculo de amigos próximos e prefira manter relações profissionais no trabalho. Nesse caso, não há necessidade de se preocupar em recusar o happy hour. Por outro lado, se você quisesse ter ido porque realmente queria fazer novas amizades no trabalho (e talvez até se repreendesse por declinar), então seria o caso de cogitar buscar algum tipo de ajuda. Mais amplamente, se a sua ansiedade em relação aos outros está impedindo você de alcançar seus objetivos, você pode se beneficiar da ajuda baseada em terapias – ou até coaching, dependendo do seu nível de ansiedade.

Quer compreender mais acerca de si mesmo? Preencha os seus dados e receba agora mesmo o seu eBook!

* indicates required

E QUANTO À INTROVERSÃO?

Notou que até agora eu não falei sobre introversão.

Isso é porque a introversão não se refere a ficar nervoso em relação aos outros (embora seja frequentemente confundido com isso). A introversão é uma preferência por atividades introspectivas ou reflexivas, como ler, escrever ou desenhar. Como as atividades introspectivas tendem a envolver o tempo gasto sozinho, as pessoas muitas vezes interpretam mal esse comportamento como evitação social. Mas, na realidade, se um introvertido decide comparecer a uma festa ou iniciar uma conversa com um estranho, eles podem não se sentir nem um pouco nervosos. Mais genericamente, as pessoas que se sentem nervosas com os outros nem sempre são introvertidas, e os introvertidos nem sempre ficam nervosos com os outros.

No caso de você ser introvertido e (coincidentemente) também nervoso em relação aos outros, recomendamos que faça a mesma pergunta: está atrapalhando seus objetivos? Se sim, busque ajuda.

“Introversão é o seu caminho. A ansiedade social fica no seu caminho.” — Ellen Hendriksen

A rotulagem incorreta e o auto-diagnóstico podem trazer diversas implicâncias para sua vida. E não só para o seu desenvolvimento pessoal, quanto pode acarretar prejuízos pessoais irreparáveis. Portanto, sendo você introvertido ou não, qualquer característica de sua personalidade que se interponha entre você e os seus objetivos pessoais, deverão ser alvo de maior atenção.

E você, tem alguma questão parecida que gostaria de nos relatar. Se sim, esteja à vontade para dividir isso conosco.

Vejo você em breve!

Marta Leite

Notas:

[2] Embora as pessoas com ansiedade social frequentemente também sejam tímidas, existem algumas exceções. É importante notar que o Transtorno de Ansiedade Social é um conceito ainda mais específico do que a ansiedade social. Isso significa que os indivíduos estão experimentando ansiedade social grave o suficiente para ultrapassar um certo limite. E isso é identificado pelos médicos que consultam para isso o Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM) para determinar o este limiar.

Dúvidas, críticas ou sugestões, fale conosco!

A sua introversão traz algum tipo de bloqueio para a sua vida pessoal ou profissional?

0 replies

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe aqui o seu comentário!

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Gosta do nosso conteúdo?

Assine agora e receba mensalmente as atualizações do nosso site!

I agree to have my personal information transfered to MailChimp ( more information )

Nós não negociamos endereços de email! Você poderá sempre cancelar a sua subscrição!

Eu sou Marta Leite, mãe, esposa, Humanistic Professional Coach – IHCOS®, produtora e facilitadora de conteúdos de desenvolvimento pessoal para introvertidos e personalidades sutis. CEO fundadora do site Introvertidamente. Sou uma introvertida intuitiva de Carl Jung, uma INFJ do sistema Myers-Briggs e uma Idealista do sistema de personalidades Keirsey.